São Benedito, o santo da humildade, amor e curas

Benedito foi um humilde pastor de ovelhas na Sicília. Desde criança, se mostrava um expoente de sabedoria e santidade. Seus pais eram escravos de ascendência etíope, terra em que a tradição remonta a sua evangelização aos Apóstolos, São Bartolomeu e São Mateus.  Sua mãe grande devota do Santíssimo Sacramento e muito caridosa com os mais pobres. Seu pai recitava diariamente o Rosário de Nossa Senhora e, sempre que o trabalho lhe permitia, ia à Santa Missa.

Ainda antes de torna-se frei, Benedito era assediado por nobres, príncipes, sacerdotes e até teólogos, que faziam questão de ouvir seus inspirados conselhos. Mesmo sem saber ler, via tudo com excepcional clareza e conhecia em profundidade os detalhes da Sã Doutrina. Sua dedicação e simplicidade eram exemplos grandes o bastante para tocar o coração de todos.

São Benedito atendia a todas as pessoas que podia com respeito, paciência e amor fraterno. Era um costume dele dizer às pessoas que estavam passando por dificuldades: “Tende fé, e o Senhor vos consolará!”.

O santo, pela graça de Jesus, realizou muitos milagres, tanto em vida, quanto mais ainda depois de sua morte, ele  pode ser, sem dúvida, chamado como S. Antônio de Pádua, de um milagreiro.

Benedito curou os doentes, depois de orar com fé fervorosa, com um único sinal da cruz ou com o toque de sua mão, ou ungindo enfermos com o óleo da lâmpada acesa diante do altar da Santíssima Virgem, e depois de sua morte, curou muitos doentes que tocavam sua relíquia e invocando sua intercessão.

Segundo Frei Giacomo di Pazza, testemunha no processo de beatificação, São Benedito fazia milagre todos os dias. Ressuscitou uma criança morta por asfixia apenas tomando-a nos braços e logo em seguida entregando-a à mãe para que a amamentasse, fato que ficou conhecido e representado como sua principal imagem. Curava cegos apenas fazendo o sinal da Cruz.

O PRIMEIRO MILAGRE DA CANONIZAÇÃO, A CURA DO PEQUENO FRANCISCO

No processo de canonização relata-se que um pai, Salvatore Capizzi da cidade de San Fratello, estava no jardim perto de sua casa, pegou sua arma e disparou um tiro aleatório para afugentar animais, porcos.  Após o disparo, constatou que havia baleado a garganta do seu próprio filho Francisco, de nove anos, transpassando-a de lado a lado.

Após atendimento médico, afirmaram ser o ferimento mortal, e, portanto, absolutamente incurável. O pai, depois de ver que os recursos humanos eram inúteis, chamou o Padre Placido de Naro, Guardião do Convento de San Fratello, que com a relíquia do Servo de Deus Benedito abençoou o menino tocando na lesão.

Oh grande milagre! Naquele toque a ferida foi perfeitamente curada e Francisco começou a falar, apenas uma cicatriz permaneceu, como uma evidência da cura milagrosa.

 

“Pobre de mim, sou um miserável pecador, ando cheio de soberba, pedi ao Senhor que me faça humilde”. São Benedito

Em de 4 de abril de 1589, numa terça-feira de Páscoa, Benedito morre já com fama de santidade e exclamando com extrema alegria “Jesus! Jesus! Minha Mãe doce Maria! Meu pai São Francisco”, e falece  na paz do senhor.

Suas relíquias são guardadas no convento que escolheu para viver, em Palermo. Seu hábito está exposto na cela em que ele viveu, e, mais de 400 anos depois, seu corpo ainda não sofreu decomposição que o desfigurasse por completo.

 

A Festa de São Benedito é comemorada em todo mundo no dia 04 de abril. No Brasil, ela é celebrada no dia 05 de outubro.

Canonizado em 1807, pelo Papa Pio VII, sua forma de viver inspira a muitas pessoas, sendo símbolo de obediência, humildade, espírito de oração e alegria.

São Benedito, rogai por nós!

 

Oração de São Benedito

“Glorioso São Benedito, grande confessor da fé, com toda a confiança venho implorar a vossa valiosa proteção.

Vós, a quem Deus enriqueceu com dons celestes, consegui-me as graças que ardentemente desejo, para maior glória de Deus.

Confortai o meu coração nos desalentos.

Fortificai minha vontade para cumprir bem os meus deveres.

Sede o meu companheiro nas horas de solidão e desconforto.

Assisti-me e guiai-me na vida e na hora da minha morte, para que eu possa bendizer a Deus neste mundo e gozá-lo na eternidade.

Com Jesus Cristo, a quem tanto amastes.

Amém.”

 

 

Fontes: https://yosheh.blogspot.com.br/2012/10/sao-benedito.html

https://rezairezairezai.blogspot.com.br/2013/05/os-milagres-de-sao-benedito-o-negro-de.html

http://sanbenedettodasanfratello.blogspot.com.br/p/i-miracoli-compiuti.html